Ciência e Saúde

Amazonas tem 200 casos do novo coronavírus; 10% deles no interior

0
O Estado do Amazonas tem, nesta quarta-feira (01/04), 200 casos confirmados do novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, foram diagnosticados 25 novos casos de Covid-19, doença causada pelo vírus. Entre os novos diagnósticos, 20 são da capital e cinco do interior.
 
A atualização dos números e das ações de combate à disseminação do novo coronavírus no Estado foi realizada em live nas redes sociais do Governo do Amazonas, nesta quarta-feira, pela diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, e pelo secretário executivo adjunto de Atenção Especializa ao Interior, da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Cássio Espírito Santo.
 
Segundo os dados processados até o fim da manhã desta quarta-feira, dos 200 casos da doença no Amazonas, 179 foram de pessoas moradoras de Manaus, e 21 de residentes do interior.
 
Nos municípios, houve aumento de casos em Manacapuru, que passou de quatro para seis casos, e em Santo Antônio do Icá, passando de um para quatro. As outras cidades com pessoas infectadas pelo novo coronavírus são Parintins (3), Itacoatiara (4), Anori (1), Boca do Acre (1) e Novo Airão (1).
 
O Amazonas tem até aqui três mortes em decorrência da Covid-19, com todas as vítimas do sexo masculino. Um deles morava em Parintins, e os outros dois na capital do Estado. A FVS-AM informou que investiga ainda três mortes.
 
Dos 200 casos diagnosticados com a doença, 138 estão em isolamento domiciliar. Enquanto 28 estão internados, 13 deles em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A FVS-AM informou que subiu para 31 o número de pessoas que saíram do período de transmissão do vírus (quarentena).
 
Exames – A diretora da FVS-AM destacou o trabalho realizado pelo Laboratório Central do Estado do Amazonas (Lacen-AM), que é o responsável pelo processamento dos exames para Covid-19 no Estado.
Rosemary Pinto afirmou que, apesar da demanda crescente, o Lacen-AM tem sido um dos laboratórios mais rápidos do Brasil na liberação de exames. O prazo médio para o diagnóstico ser liberado no Estado é de 24 horas – 48 horas quando há necessidade de repetir o teste.
 
“O Lacen tem feito 250 coletas de amostras biológicas por dia. E essas coletas têm sido processadas no período máximo de 48 horas quando nós precisamos retestar, quando dá inconclusivo e é necessário fazer o teste novamente. Mesmo que nós entreguemos com 48 horas, ainda estaríamos na frente de muitos estados, que estão demorando de sete a dez dias para entregar resultados”, disse a diretora da FVS-AM.
 
Rosemary Pinto destacou que, para ampliar a capacidade de produção do Lacen-AM, a FVS-AM vem contando com o apoio de pessoal e equipamentos de instituições como Fiocruz, da Fundação de Medicina Tropical (FMT), Fundação Alfredo da Matta (Fuam), Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).
 
A diretora da FVS-AM lembrou que a confirmação do diagnóstico de Covid-19 não é condição para se iniciar o protocolo de assistência médica para pacientes graves com suspeita da doença. Ou seja, antes de receber o resultado, o paciente já recebe todos os cuidados necessários na unidade hospitalar em que buscou atendimento.
 
“Então, saber se o paciente tem ou não Covid-19 não faz diferença para o tratamento, o tratamento é o mesmo de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que é aplicado para todos os casos graves. Esse paciente, se necessitar, vai ser removido para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na UTI, se necessário, vai ser intubado e vai ser tratado de acordo com os sintomas dele”, explicou.
 
Pacientes do interior – Na ocasião, Cássio Espírito Santo informou que todos os municípios do Amazonas receberam kits para coleta de amostra biológica de pacientes suspeitos. Uma vez coletada, essa amostra é encaminhada para Manaus, para ser processada no Lacen-AM.
O secretário afirmou que os pacientes mais graves são mantidos em leitos de isolamento nas unidades de saúde dos municípios até que a Susam providencie a transferência dele para Manaus em uma UTI aérea. Para dar celeridade nesse processo, o Governo do Amazonas organizou um fluxo exclusivo para envio de casos graves de Covid-19 para a capital por UTI Aérea.
 
Rosemary Pinto reforçou o pedido para que a população permaneça seguindo as orientações das autoridades de saúde, tanto as de higiene quanto a de evitar sair de casa, principalmente pessoas acima de 60 anos.

 

Você pode gostar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *